A polícia alemã conclui o despejo dos ativistas que ocuparam a cidade mineira de Lützerath


  • A maioria dos prédios da cidade foi demolida ao longo do dia


  • A polícia e os manifestantes se acusaram mutuamente de agir com violência nos distúrbios de sábado


  • Doze manifestantes foram presos em protestos com 30 veículos oficiais danificados

A maioria dos prédios da cidade foram demolidos ao longo do dia, segundo a Polícia, pelo que a empresa RWE já teria vá em frente para cavar o carvão que fica sob Lützerath.

A polícia e os manifestantes acusaram-se mutuamente de agir com violência nos tumultos de sábado. A polícia informou que 70 policiais feridos e nove ativistas foram levados de ambulância para hospitais. Os convocadores asseguram que há dezenas de feridos, alguns com ferimentos graves que podem até pôr em perigo as suas vidas.

Até doze manifestantes foram presos e há 30 veículos oficiais danificados, oito com espelhos quebrados, com pichações e pedras. Até 32 pneus de viaturas policiais foram furados.

Além disso, a Polícia denuncia que mil “desordeiros” no exterior da manifestação e a maioria mascarados tentaram entrar na zona isolada de Lützerath, para o que foram utilizados canhões de água, spray de pimenta e cargas com cassetetes para os repelir.

Neste mesmo domingo houve uma nova concentração para tentar impedir a demolição da qual participaram Thunberg e a alemã Luisa Neubauer.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *