“A região não precisa de mais tensão”

De acordo com uma declaração escrita do Ministério das Relações Exteriores da Jordânia, Safedi e Blinken falaram ao telefone.

Durante o encontro, Safedi disse que a região não precisa de mais tensão com os novos redemoinhos de violência.

Afirmando que é imperativo fazer um esforço conjunto para proteger o status quo histórico e legal em Jerusalém e a santidade lá, Safedi observou que se as violações de Israel continuarem, uma escalada estrita deve ser evitada.

Apontando para o papel central da liderança americana nos esforços para impedir ações unilaterais que minam a solução de dois estados, Safedi elogiou a postura aberta do governo dos EUA ao declarar que é imperativo que Jerusalém respeite a preservação de seu status legal.

No comunicado, foi afirmado que os chanceleres da Jordânia e dos EUA enfatizaram que ambos os países farão esforços conjuntos para a retomada de negociações efetivas e sérias visando uma paz abrangente, duradoura e justa na região com base em dois -solução de estado.

A LEVANTAMENTO PROVOCANTE DE AKSA DE BEN-GVIR

O ministro da Segurança Nacional de extrema direita israelense, Itamar Ben-Gvir, conhecido por suas ações provocativas, invadiu a Mesquita de Al-Aqsa em 3 de janeiro, sob intensa proteção da polícia israelense, e entrou no Haram-i-Sharif.

Ben-Gvir, líder do Partido do Poder Judaico de extrema direita, tornou-se o primeiro ministro israelense no cargo a entrar na Mesquita de Al-Aqsa 5 anos depois.

Antes de Ben-Gvir se tornar ministro do governo recém-formado, ele era frequentemente mencionado por causa dos ataques a Masjid al-Aqsa, seu incitamento a atos de violência contra palestinos e sua retórica racista durante seu mandato como membro do parlamento.

Fotografia cortesia de AA.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *