As 7 dicas da CNMV para evitar ser enganado ao investir | mercados


A Comissão Nacional do Mercado de Valores Mobiliários (CNMV) acaba de publicar um guia que inclui sete chaves a ter em conta para evitar ser vítima de fraude financeira. O supervisor do mercado enfatiza a importância de nunca confiar em entidades ou pessoas que não estejam cadastradas.

Nos últimos anos, os golpes financeiros estiveram intimamente ligados a supostos investimentos em criptoativos, um tipo de investimento que entrou em colapso total em 2022. O uso generalizado de telefones celulares e computadores para investir Proliferou páginas da web fraudulentas que tentam capturar dinheiro com promessas de lucratividade muito suculentas.

Que medidas um particular teria de ter em conta antes de se lançar a investir? Que sinais devem disparar os alarmes?

1. Corretores registrados

Qualquer empresa ou pessoa que pretenda administrar o dinheiro de terceiros ou emitir recomendações de investimento deve estar registrada na CNMV, no Banco da Espanha ou na Direção Geral de Fundos de Pensões.

As figuras são múltiplas: sociedade de assessoria financeira, agência e sociedade de valores mobiliários, gestora de fundos de investimento… números de celular ou cujo prefixo não seja o espanhol”.

Ele também recomenda verificar no próprio site da CNMV se a empresa recebeu algum tipo de alerta por ser um bar de praia financeiro. Ou seja, por fingir oferecer serviços de investimento sem estar cadastrado.

2. Propostas não solicitadas

O supervisor de mercado recomenda que os clientes fiquem atentos a “qualquer proposta de investimento não solicitada, seja por telefone, e-mail ou mensagens nas redes sociais”.

Além disso, enfatizam que “quanto mais tentadora a oferta, mais certeza se trata de uma fraude”. Se um e-mail propõe um método de investimento com retorno mensal de 20%, é certeza absoluta de que se trata de um golpe.

3. Devoluções sem risco

Outro fator que deve disparar todos os alarmes é quando o produto proposto promete um retorno quase sem risco. “Esse tipo de promessa é falsa”, diz o guia da CNMV. “Quanto maior o retorno potencial, maior o risco assumido. Não há investimento sem risco.”

4. Países remotos

O supervisor do mercado apela à desconfiança em ofertas de financiamento ou investimento em condições muito favoráveis ​​“de entidades localizadas em países remotos, de onde não se pode obter informação”.

Quase sempre são entidades fantasmas que solicitam uma quantia em dinheiro que nunca será recuperada.

5. Tenha cuidado com as teclas

A CNMV apela para proteger os dados pessoais com o máximo zelo. Não se trata apenas de nunca compartilhar os códigos de acesso com terceiros, mas também de ter muito cuidado com e-mails, mensagens de texto ou telefonemas que solicitem esses dados.

Um dos grandes riscos são os links que são incluídos muitas vezes nessas mensagens. Nunca deve ser perfurado sem ter verificado sua origem.

6. CNMV autêntico

Em Espanha existem apenas dois organismos encarregados de assegurar o funcionamento dos mercados financeiros: a CNMV e o Banco de Espanha. Por isso é muito importante ficar atento a empresas que tentam se passar pela CNMV, usando seu nome ou logotipo para fazer recomendações ou vender produtos de investimento.

“Essas recomendações e ofertas são sempre fraudes, já que a CNMV nunca recomenda investimentos”, aponta a CNMV em seu guia, o autêntico.

7. Redes sociais

Face ao aumento da utilização do Twitter, YouTube ou Instagram como fonte de informação financeira, a CNMV pede aos utilizadores que “nunca tomem decisões de investimento baseadas apenas em recomendações vistas nas redes sociais”.

É importante saber qual é a fonte autêntica da informação. Se houver recomendações diretas, o autor do canal deve ser registrado.



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *