Gasolina e diesel caem de preço com bônus de 20 centavos no ar | Economia


Os principais combustíveis registaram uma nova semana de quedas de preços na Europa, segundo dados publicados esta quinta-feira pelo European Union Oil Bulletin. O documento acompanha a evolução dos preços dos combustíveis nos vinte e sete países do clube. No caso de Espanha, aplicado o ainda vigente desconto de 20 cêntimos por litro, entre 29 de novembro e 5 de dezembro o gasóleo situou-se a um preço médio de 1,56 euros, enquanto a gasolina 95 rondava os 1,48 euros por litro.

Com esses valores, segundo cálculos da Efe, o custo da gasolina caiu 2,8% nos últimos sete dias, enquanto o diesel está 3,6% mais barato do que há uma semana.

Ayatul Kursi Bangla

Ao analisar os preços ao pormenor, torna-se claro que o desconto na compra do combustível é fundamental na hora de o tornar mais acessível face a outros países europeus e face a épocas anteriores. Antes da invasão russa da Ucrânia, os dados do boletim petrolífero mostram que o preço do litro do gasóleo em Espanha era de 1,47 euros. A gasolina 95 estava em 1,59 euros por litro. Sem o desconto ativo, hoje o litro do diesel seria 19,7% mais caro do que naquela época. A gasolina custaria 5,6% a mais.

Voltando aos dias de hoje e sem mais uma vez ter em conta o efeito do desconto de 20 cêntimos, se compararmos os preços espanhóis com os dos restantes países da UE, verifica-se que um litro de gasóleo está praticamente a par com, por exemplo, o da Itália (1,76 euros). Seria mais caro que o de Portugal (1,64 euros) e, ainda assim, mais barato que em França e na Alemanha (1,82 e 1,85 euros respetivamente). O litro de gasóleo mais caro de toda a União encontra-se na Suécia, com mais de 2 euros o litro, o mais barato, em Malta, com 1,2 euros.

Na gasolina 95 acontece algo muito parecido com o que acontece com o diesel. O desconto de 20 centavos coloca o preço do litro na parte inferior da União. Sem ela, a gasolina em um posto espanhol seria mais cara do que em 13 países, com o desconto, a Espanha tem o sétimo litro mais barato.

Momento crucial para ajuda

A já referida queda dos preços dos combustíveis surge num momento chave para o futuro do desconto de 20 cêntimos por litro que o Governo aprovou em abril passado, uma vez que pode apresentar argumentos para não o prolongar. A medida termina a 31 de Dezembro, recentemente, disseram fontes governamentais a este mesmo jornal que se apressam até ao último momento para decidir se a prorrogam ou não, porque a decisão do Executivo dependeria, segundo essas mesmas fontes, do preço de um barril de petróleo e a perspectiva de sua evolução para os próximos meses.

Assim, eles indicaram que o preço atual é adequado, embora haja a possibilidade de países produtores como a Arábia Saudita reduzirem sua produção, o que provocaria um novo aumento de preço. Também descartaram que essa medida, que atualmente beneficia igualmente todos os motoristas, possa se tornar progressiva com base na renda, pela impossibilidade de executá-la e controlá-la.

O mercado de petróleo acumula vários dias de quedas no preço do barril em meio a altas incertezas. Foi na segunda-feira passada que entrou em vigor o veto europeu à importação de petróleo russo por via marítima, uma restrição que, segundo cálculos da Agência Internacional de Energia, afetaria 1,1 milhão de barris de petróleo por dia. No domingo, a Opep+ concordou em estender até 2023 seu forte corte de oferta de 2 milhões de barris por dia que vem aplicando desde novembro. Em suma, o preço está em declínio devido às perspectivas econômicas ruins.



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *