Incêndio na cidade chilena de Viña del Mar deixa um morto e 130 casas queimadas


O município de Viña del Mar, a cerca de 120 quilômetros a oeste de Santiago do Chile, está sob decreto de estado de exceção catastrófico desde ontem à noite devido a um mega incêndio que causou uma morte, 30 feridos, 130 casas queimadas e centenas de vítimas . As chamas começaram esta quinta-feira numa zona florestal, mas o fogo atingiu rapidamente a zona alta da cidade turística, onde existem populações informais, de difícil acesso. Segundo o subsecretário do Interior, Manuel Monsalve, o fogo consumiu 130 hectares e o seu controlo está previsto para esta sexta-feira.

“Decretei o Estado de Exceção Constitucional de Catástrofe para ter todos os instrumentos necessários para combater os incêndios que afetam Viña del Mar. Não os deixaremos sozinhos”, escreveu o presidente Gabriel Boric na madrugada. Esta manhã, o presidente se reuniu com sua ministra do Interior, Carolina Tohá, e o subsecretário Monsalve “para continuar monitorando a emergência em Viña del Mar”. “Todos os nossos esforços estão direcionados para o controlo do incêndio e apoio às famílias afetadas, em coordenação com as autoridades locais”, acrescentou o chefe de Estado.

Casas afetadas pelo incêndio no Cerro Forestal em Viña del Mar (Chile), nesta sexta-feira.
Casas afetadas pelo incêndio no Cerro Forestal em Viña del Mar (Chile), nesta sexta-feira. ADRIANA THOMASA (EFE)

As chamas ameaçaram queimar a Quinta Vergara, parque onde se encontra o Palácio Vergara, onde foram retiradas ontem à noite obras de arte e objetos de valor patrimonial. É o local onde todos os verões chilenos é realizado o tradicional festival da música nesta cidade. Segundo a Corporação Nacional Florestal, CONAF, “há algumas pessoas identificadas nos pontos de partida” do mega-incêndio em Viña del Mar, portanto esta informação será entregue ao Ministério Público e à Polícia Investigativa, PDI.

Na manhã desta sexta-feira, três áreas ativas do incidente permanecem, informou o subsecretário Monsalve, mas é um incêndio florestal, que não está afetando as residências. O Governo e as autoridades locais organizaram cinco abrigos para os atingidos, enquanto as equipas de emergência tentam controlar as chamas. Estão em funcionamento 11 brigadas terrestres, oito helicópteros, dois aviões-tanque e um avião de coordenação e quatro caminhões-tanque. À tarde, um avião Hércules C130 seria transferido para a área e as Forças Armadas colocaram 175 oficiais e cinco brigadas à disposição para ajudar no combate ao incidente.

Esta temporada tem sido especialmente complexa devido aos incêndios florestais que ocorreram, sobretudo, na zona central do Chile. Há uma semana, Santiago acordou sob uma camada de fumaça poluente devido a um acidente ocorrido na cidade de Curacaví, entre a capital e Valparaíso. As altas temperaturas e a seca que atingem essas regiões só contribuem para aumentar o risco de acidentes.

Assine aqui a newsletter do EL PAÍS America e receba todas as novidades da região.



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *