Mika Raun compareceu perante o juiz!


Mikail Can Kurnaz, um fenômeno da mídia social apelidado de Mika Can Raun, foi detido depois que as imagens dele jogando a nota de 100 liras no banheiro causaram grande reação nas mídias sociais. Em sua defesa, Fenomen não admitiu ter jogado o dinheiro no vaso sanitário, e foi liberada sob controle judicial pelas autoridades judiciárias sob condição de proibição de sair do país. No âmbito da investigação realizada, foi instaurado um processo contra o fenómeno, exigindo pena de prisão até 7 anos e 6 meses sob a acusação de “insultar publicamente a memória de Atatürk” e “negar os sinais da soberania do Estado”.

MICA FENOMENAL DA MÍDIA SOCIAL CONTRA O JUIZ

A primeira audiência do caso no 43º Tribunal Criminal de Primeira Instância da Anatólia de Istambul foi realizada hoje. O réu Mikail Can Kurnaz e seu advogado compareceram à audiência. Em sua defesa do fenômeno das redes sociais apelidado de Mika Raun, ele afirmou que não teve nenhum comportamento político e político em sua defesa até hoje, e disse: “Quando percebi que fui mal interpretado, removi imediatamente o vídeo e fiz um declaração. Gravei o vídeo sem pensar em nada. Não tive a intenção de insultar os sinais da soberania do estado e a memória de Atatürk.”

“OUTROS FENÔMENOS TAMBÉM FIZERAM”

O réu Kurnaz, que afirmou que definitivamente não aceitava as acusações, continuou: “Não há intenção no que eu disse no vídeo. Houve postagens que insultavam o dinheiro antes do meu vídeo. No entanto, uma decisão de detenção não foi tomada como foi feita para mim. Não houve ação judicial”, disse. O fenômeno das redes sociais encerrou sua defesa com as palavras “quero minha absolvição”.

SAÍDA DE COOPERAÇÕES ESTRANGEIRAS DO ADVOGADO DO RÉU

Enfatizando que seu cliente não produziu nenhum outro conteúdo além de comédia nas redes sociais, o advogado do réu disse: “O vídeo não perseguiu um propósito político ou político. Exigimos a absolvição porque não estão formados os elementos jurídicos dos crimes cometidos contra o acusado. Não há evidências convincentes longe de todos os tipos de crimes duvidosos. Além disso, meu cliente está banido do exterior e também queremos que sejam abolidos os cheques judiciais para não incorrer em prejuízos financeiros para possíveis cooperações estrangeiras”, afirmou.

CASO DEFERIDO

Terminada a audiência, o tribunal suspendeu o processo decidindo abolir os controlos judiciais do arguido para não causar danos irreparáveis ​​uma vez que foi feita a defesa do arguido e enviar os autos ao Ministério Público para o Ministério Público escreva sua opinião sobre o mérito.



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *