Participar de conversas e filiação sindical não constitui filiação a uma organização.

O Tribunal Constitucional (AYM) subscreveu uma importante decisão relativa aos julgamentos da FETO. O Supremo Tribunal considerou uma violação de direitos que um professor que participava dos bate-papos e era um membro do sindicato que apoiava a organização fosse punido por ser membro de uma “organização terrorista armada”. Na decisão, foi enfatizado que o tribunal local não conseguiu demonstrar que o requerente “conhece o objetivo final da organização”. O Supremo Tribunal também decidiu por um novo julgamento e uma indenização de 30 mil TL.

Esta decisão do Tribunal Constitucional; Enquanto trabalhava como professor em Usak, ele o conseguiu a pedido de um professor que foi detido por um tempo após a tentativa de golpe de 15 de julho.

6 ANOS E 3 MESES DE PRISÃO

O professor em questão foi condenado a 6 anos e 3 meses de prisão sob a acusação de “filiar-se a uma organização terrorista armada” como resultado do julgamento realizado no 2º Tribunal Penal Superior de Uşak. O tribunal local apurou o motivo da punição do suspeito, que era professor antes do processo de 17 a 25 de dezembro de 2013, por participar nas reuniões de chat da organização, ser membro do Sindicato da Educação Ativa e ter contacto telefónico com alguns suspeitos da FETO. Esta decisão tornou-se definitiva após a aprovação do Recurso e do Supremo Tribunal.

APLICÁVEL AO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL

Diante deste desenvolvimento, o professor-requerente apresentou requerimento individual ao Tribunal Constitucional. Afirmou que a condenação por pertencer a uma organização terrorista viola o princípio da legalidade dos crimes e das penas, o direito ao respeito pela vida privada e o direito à sindicalização.

VIOLAÇÃO E NOVO JULGAMENTO

Apreciando o pedido, o Tribunal Constitucional decidiu por unanimidade pela violação da 1.ª Secção. Decidindo um novo julgamento, o tribunal também decidiu pagar ao requerente 30 mil TL em compensação. Após a decisão de violação do AYM, o julgamento será derrotado no tribunal local. E de acordo com a decisão de violação, o professor candidato será absolvido.

DESCOBERTAS IMPORTANTES SOBRE A RAZÃO

Na decisão do Supremo Tribunal; Os resultados que poderiam estabelecer um precedente para os ensaios FETO foram incluídos. Em resumo, essas conclusões são as seguintes:

DEVEMOS SABER O OBJETIVO FINAL DO FETO: Segundo o Tribunal Constitucional, não há dúvida de que o recorrente era membro, ou pelo menos simpatizava com, uma estrutura que se fazia passar por comunidade religiosa no momento em que praticou os factos pelos quais foi punido. Por outro lado, as autoridades judiciais não alegaram que o requerente era um dos membros da organização, que conhecia o objetivo final e os métodos do FETÖ/PDY e estava localizado nos andares superiores da pirâmide da organização. Além disso, o recorrente não alegou de outra forma que tinha conhecimento do facto de a organização em causa ser uma organização terrorista, na qual estava em contacto e filiado numa comunidade religiosa, antes de a FETÖ/PDY ser reconhecida como organização organização terrorista pelo Estado e conhecida como tal. Deixar de revelar que indivíduos sabem que uma formação ou organização que faz com que pessoas sejam punidas por serem membros é uma organização terrorista é contrária aos princípios gerais do direito penal e pode resultar em indivíduos condenados por crimes graves, como ser membro de uma organização terrorista sob a alegação de que cometeram atos que não foram previamente definidos como crime.

ACEITE UMA COMUNIDADE RELIGIOSA: Tribunal de Primeira Instância; Os registros do HTS – tomados em conjunto – referentes às reuniões de bate-papo que não foram avaliadas quanto às características organizacionais, e os depoimentos de testemunhas a elas relacionadas, quanto à filiação ao sindicato filiado à organização e comunicação com as pessoas que estão em julgamento pelo suposto estar no nível do imã, que não pôde ser demonstrado como organizacional devido à incapacidade de determinar seu conteúdo, Ele não conseguiu demonstrar que age com a consciência de ser Não foi possível demonstrar que FETÖ O /PDY agiu no pressuposto de que se tratava de uma organização não governamental com base legal, uma comunidade religiosa, e que as ações do requerente, que se entendia ter simpatia e contato com a organização, que foram usadas como prova em sua condenação, poderia razoavelmente prever que ele seria responsabilizado criminalmente. Assim, foi possível a condenação do recorrente por pertencer a uma organização terrorista desta forma, ao sujeitar o referido crime a uma imprevisível interpretação alargada contra o requerente. Este resultado é inconsistente com o primeiro parágrafo do Artigo 38 da Constituição. O Tribunal Constitucional decidiu que o princípio da legalidade dos crimes e das penas foi violado pelas razões expostas.

INTERVENÇÃO NO DIREITO DA UNIÃO: O recorrente, que não demonstrou conhecer a finalidade última da organização, afirmou que a sua participação nas conversações promovidas pela organização com a qual manteve contacto e em ligação com a hipótese de se tratar de um movimento da sociedade civil foi utilizada como prova na punição de membro de organização terrorista, ultrapassando assim novamente a dimensão da conexão com o direito do requerente ao respeito pela vida privada e estabelecendo um vínculo orgânico com a organização e sendo incluído na sua hierarquia. O direito do sindicato foi prejudicado porque ser membro de um sindicato que apoia a FETÖ/PDY sem ser apoiado pela existência de atividades organizacionais suficientes para provar isso foi usado como prova na punição de ser membro de uma organização terrorista.

O DIREITO AO RESPEITO PELA VIDA PRIVADA FOI VIOLADO: O tribunal de primeira instância não demonstrou que as atividades no âmbito dos direitos básicos do requerente, que não poderia demonstrar conhecer o objetivo final da organização, eram atividades organizacionais realizadas dentro da hierarquia de uma organização terrorista; assim, criou um efeito dissuasivo injusto sobre o direito ao respeito pela vida privada e o direito aos sindicatos. Nesse contexto, o juízo não conseguiu demonstrar com fundamentação relevante e suficiente que a utilização dos atos do recorrente, objeto da denúncia, como prova na sentença condenatória, atende a uma necessidade social compulsória. O Tribunal Constitucional decidiu que os direitos ao respeito pela vida privada e sindical foram violados pelas razões expostas.

PROF. AVALIAÇÃO DA ERSAN SEN

prof. O Dr. Ersan Şen avaliou a decisão do Tribunal Constitucional. prof. Sen disse:

“Esta decisão do Tribunal Constitucional contém conclusões importantes em termos de processos relacionados com a adesão à FETÖ/PDY.

Para ser lembrado, o Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas havia recentemente descoberto que o princípio da “legalidade dos crimes e punições” foi violado em um aplicativo semelhante. No pedido examinado pelo comitê, apenas usar o ByLock e depositar dinheiro no Banco Asya não seria suficiente para estabelecer uma condenação por pertencer a uma organização terrorista armada; Ele afirmou que deveria ser revelado pelos tribunais que a pessoa cometeu esse crime consciente e voluntariamente.

Aplicações semelhantes também estão na agenda do İHAM. Atualmente pendente de decisão perante a Câmara dos Deputados Yalcinkaya/Turquia Em sua aplicação, a CEDH colocou questões críticas ao Estado da República da Turquia em termos do princípio da “legalidade de crimes e punições”, bem como muitas outras questões.

Neste e em casos semelhantes; Para além do princípio da “licitude dos crimes e das penas”, o direito ao respeito pela vida privada, o direito de sindicalização, a liberdade de associação, a liberdade religiosa e de consciência, a liberdade de expressão direitos e liberdades garantidos na Constituição, como a liberdade de

Para evitar isso, é importante que os tribunais de instância decidam com base em constatações concretas e não em suposições, façam avaliações sobre se pessoas que não podem ser reveladas como estando nos andares superiores da pirâmide organizacional podem se beneficiar de provisões de erro, e assim evitar interpretar a norma penal que aplicam de forma imprevisível em detrimento dos réus.

No entanto, devemos salientar que; Embora a data da decisão objecto do pedido indique o período em que o processo prosseguiu duramente, sabe-se que a 3. decisão e proferiu decisões de anulação. Embora sejam importantes as determinações sobre a violação na decisão do Tribunal Constitucional, verifica-se que, por enquanto, as condenações não foram feitas pelos tribunais locais, pelas carceragens dos tribunais regionais de apelação e pelo Supremo Tribunal Federal por conversa religiosa , associação sindical e gravações HTS de conteúdo desconhecido.

Os fundamentos da decisão de violação do Tribunal Constitucional são importantes para esclarecer os elementos da adesão à FETÖ/PDY.”

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *