O CEO da Seat, Wayne Griffiths.
O CEO da Seat, Wayne Griffiths.

O Grupo Volkswagen, do qual a Seat faz parte, anunciou esta quarta-feira ao Governo que aceita a resolução do Projeto Estratégico de Recuperação e Transformação Económica do Veículo Elétrico e Conectado (PERTE-VEC) que tem vindo a ser levado a cabo pelo Ministério da Indústria, como avançou O PAÍS. Isso dissipa as nuvens que pairavam sobre o plano multinacional de investir 10.000 milhões de euros para a eletrificação de suas fábricas na Espanha e a construção de uma nova fábrica de células de bateria na cidade valenciana de Sagunto (3.000 milhões de euros). Os governos central e regional da Comunidade Valenciana, Catalunha e Pamplona prometeram completar com várias ajudas os 397 milhões atribuídos em PERTE e que a multinacional alemã considerou insuficientes, para o qual todo o projeto foi comprometido, e especialmente , a gigafábrica Saguntina.

O presidente da Seat, Wayne Griffiths, afirmou em comunicado enviado esta quarta-feira em relação à aceitação da resolução PERTE VEC: “Hoje é um dia histórico para todos nós. Estamos a dar um passo estratégico: a SEAT SA, o Grupo Volkswagen, a PowerCo e as empresas do Futuro: Projeto Fast Forward aceitaram a resolução PERTE VEC e juntos vamos investir 10.000 milhões de euros em Espanha”.

Terreno onde será construída a gigafábrica de Sagunto.
Terreno onde será construída a gigafábrica de Sagunto.Mônica Torres

“É um primeiro passo e, agora, continuaremos procurando soluções para desenvolver nosso ambicioso plano de eletrificação, acrescentou Griffiths. A declaração destaca três aspectos do plano: A SEAT SA está a liderar, a partir de Espanha, o desenvolvimento dos carros de plataforma Small BEV para o Grupo Volkswagen. Este projeto democratizará o acesso à mobilidade sustentável na Europa com carros elétricos fabricados na Espanha. O Grupo Volkswagen vai eletrificar as fábricas de Martorell e Pamplona. E a Espanha terá sua primeira fábrica de baterias em Sagunto (Valência), de mãos dadas com a PowerCo Espanha”. A PowerCo é a empresa criada pelo grupo para fabricar suas gigafábricas na Europa. A fábrica de Saguntine deve ser inaugurada em 2026, enquanto a eletrificação das usinas deve ser concluída um ano antes.

“Este plano vai impulsionar a transformação da nossa indústria e ajudar a criar milhares de novos empregos e manter a competitividade do país. A aceitação do PERTE pelo Grupo Volkswagen e pela SEAT SA é um sinal do firme compromisso com Espanha e Europa”, afirmou o presidente da Seat, que esteve pessoalmente envolvido no desbloqueio das negociações. “Quero agradecer a todas as pessoas que tornaram possível o sucesso deste plano, especialmente a colaboração com as administrações públicas. Há 70 anos, a SEAT colocou a Espanha sobre rodas e agora vamos colocar a Espanha sobre rodas elétricas”, acrescentou.

Segundo fontes da negociação, o valor de 397 milhões de euros será complementado com subsídios das administrações catalã, valenciana e navarra (que ultrapassariam os cem milhões de euros, aportados principalmente pela administração valenciana) e com linhas ministeriais adicionais ao encargo de incentivo regional ( com uma figura semelhante à anterior). Abre-se também a porta para as empresas aderentes ao programa de investimento da Volkswagen aumentarem o montante da ajuda europeia através de um segundo convite ao PERTE a partir do próximo ano, uma vez que apenas 877 milhões dos 2.975 milhões que foram gastos foram gastos. anunciou o Governo.

O PAÍS DA MANHÃ

Acorde com a análise do dia de Berna González Harbour

RECEBA-O



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *